Natureza | Prímulas



A Prímula é da família das Primuláceas, e é considerada um dos primeiros sinais da primavera. Do inglês “Primrose, ela indica “a Primeira Rosa”.
Em regiões do oeste da Inglaterra, a Prímula é conhecida como rosa-manteiga, graças à sua cor que é muito próxima de um tipo de manteiga local. No Brasil, a planta também é conhecida como “pão-e-queijo”.
A versão mais famosa da planta é a Primula Obconica. Ela apresenta hastes bem longas que sustentam os cachos de flores que podem ser brancas, cor-de-rosa, púrpura, tom de salmão ou lilás. A folhagem é muito chamativa e cerca as flores como se fosse uma espécie de embalagem verde com textura aveludada. Ela é uma das mais bonitas plantas floríferas que pode ser cultivada em interiores, por se sentir bem em locais fresco com luz solar e filtrada.
As Prímulas são plantas bastante versáteis por sua enorme diversidade de tonalidades e delicadeza. Elas ainda são muito bem vindas para composição com demais espécies. Mesmo assim, o conjunto de suas folhagens e hastes floridas faz com que ela seja perfeita para decoração de forma isolada em jardins ou ambientes internos.
Além da sua beleza incrível, é necessário não se enganar: todo o cuidado é pouco. Saiba que a folhagem da Primula Obconica pode causar algum tipo de alergia em pessoas sensíveis. Quando isso acontece, a recomendação é manipular o menos possível, especialmente se a pessoa tem reação alérgica, seja ela de qualquer procedência.
Para cuidar de uma Prímula, basta seguir alguns passos:

Em primeiro lugar, coloque a planta num espaço onde a luz do sol seja filtrada, ou seja, num espaço onde a luz passe por um vidro, por exemplo; para que ela nunca receba os raios solares de forma direta.
Outro passo é manter sempre a umidade da planta. As Prímulas pedem um solo bem úmido, porém nunca encharcado. Mantenha o vaso numa camada de cascalho, este irá absorver o excesso da água. De acordo com a evaporação, o nível de umidade irá aumentar.
No período de florescimento, coloque fertilizante líquido, misturado à água do re
gador. Repita o método a cada 2 ou 3 semanas, obedecendo as orientações da embalagem.

Natureza | Pleomele ou dracena malaia, ou ainda pau-d'água.


A pleomele é uma planta arbustiva, de textura semi-lenhosa e amplamente utilizada no paisagismo e na decoração de interiores. Seu caule é ereto, ramificado e atinge uma altura média de 2 a 3 metros, embora possa atingir 6 metros no seu habitat de origem. As folhas são simples, coriáceas, ligeiramente onduladas, de cor verde-oliva escuro, dispostas em espiral ao longo do ramos. Ocorrem ainda outras variedades, com destaque para duas cultivares variegadas: a “Song of India”, com folhas de margens cor verde-limão, e a “Song of Jamaica”, de margens cor branco-creme. As flores pequenas e brancas surgem no final do inverno reunidas em inflorescências terminais e, assim como os frutos, não têm importância ornamental.
A pleomele é uma planta tropical muito vistosa e de crescimento moderado. No jardim ela pode ser plantada isolada, em grupos ou em renques. Elas são rústicas e quando podadas corretamente podem formar ótimas cercas vivas. Envasadas, elas podem ser utilizadas em ambientes internos, onde são muito apreciadas na decoração por sua beleza e tolerância às condições de baixa luminosidade. No entanto, esta tolerância deve ser sempre testada e é sabido que as pleomeles não variegadas são um pouco mais resistentes que as formas variegadas. Na dúvida o crescimento da planta deve ser monitorado, pois caso ela comece a perder as folhas e estiolar (crescer muito rápido em altura) é sinal de que está faltando luz.

Natureza | Celosia Cristáta.



Esta planta florífera que também é conhecida como Celósia cristata é uma herbácea nativa da região tropical da América que tem por principal característica apresentar flores volumosas e retorcidas de cores fortes, como o vermelho, roxo e amarelo.Devido a esta aparência peculiar de suas flores, a crista de galo é bastante utilizada no paisagismo, dando uma aparência diferenciada nos jardins e jardineiras. Esta é uma planta de grande resistência ao sol, não apresentando problemas quanto a queimaduras em suas folhas e flores, assim sendo, aconselha-se o plantio em local bem ensolarado, para que a planta faça muita fotossíntese e cresça forte. Desaconselha-se o plantio desta planta em locais muito frios, uma vez que o frio atrapalha sua floração, porem ela dificilmente morre durante os invernos, voltando a florescer no verão. Quanto ao solo, prepare-o de forma a ficar rico em nutrientes, adicionando bastante adubo orgânico antes do plantio. Para realizar o plantio geralmente utiliza-se mudas compradas prontas ou saquinhos de sementes enterradas a poucos centímetros de profundidade. Após você já ter algumas destas plantas, obter novas sementes é bem fácil, uma vez que ela produz várias centenas após cada floração. Lembre-se de irrigar sua planta de forma periódica para manter sempre o solo umedecido, porém sem exageros, uma vez que o excesso d’água pode favorecer a proliferação de doenças nas plantas. Reforce a adubação sempre antes das primaveras e realize podas de limpeza sempre que a planta encontrar-se coberta por flores ou ramos mortos.

Natureza | Flox.


Nome Científico: Phlox drummondii
Nomes Populares: Flox, Chamas, Flocos, Flox-azul
Nativa do estado do Texas nos Estados Unidos, a flox é uma planta de cerca de 30 cm de altura e apresenta ramagem densa, macia e folhas verde-claras em forma de lança. As flores surgem em pequenos buquês, e podem ser de diversas cores e formas, principalmente brancas, azuis, roxas, vermelhas ou rosa, com mesclas entre estas cores. Elas ainda podem ser simples ou dobradas, de pétalas estreitas ou largas, lisas ou franjadas, de acordo com a variedade. A floração inicia-se no final do inverno, atingindo seu auge na primavera e se estende pelo verão. São muito atrativas para as borboletas. A Flox ou Phloxes, é um gênero de 67 espécies de plantas da família Polemoniaceae. Elas são encontradas principalmente na América do Norte (uma na Sibéria) em diversos habitats como florestas e pradarias. Algumas flores abrem na primavera, outras no verão e no outono. As flores podem ser de cor pálido azul, violeta, rosa, vermelho brilhante, ou branco. Muitas delas são perfumadas.